Até quando?

É interessante  pelo menos para mim observar o imenso abismo que a sociedade brasileira caiu ( ou já estava lá não sei), as recentes operações da Policia Federal (talvez um dos poucos órgãos federais que inspiram um mínimo de admiração ) revelam um País que adquiriu paixão pelas sombras e pelo tenebroso mundo da surdina empresarial, apesar de estar habituado aos recentes escândalos políticos e entender que a politica em si no Brasil é desorganizada e que talvez jamais tenhamos um minimo de coerência e  idéias partidárias que de fato levem o Brasil a construção de uma identidade cultural, social ou seja lá o que nos leve para frente, apesar disso, de saber disso tudo a operação Carne Fraca me assustou… onde a sociedade brasileira vai parar?

Vender carne podre aos seus compatriotas? minha vontade real era parar de escrever aqui…isso é fim, não consigo encontrar palavras no meu limitado vocabulário que expressem o que penso e sinto agora…náusea? é, acho que náusea serve, mas não por muito tempo, acho que os brasileiros precisam procurar em outros dialetos alguma palavra que sirva de definição.

Agostinho das confissões, o Homem que foi chamado de santo.

candles-64177_1920

O que faz de um homem um santo? o que faz um homem ser considerado alguém que vive próximo de Deus? dentre todos eles  destaco, Policarpo de Esmirna, Orígenes, Clemente, e dentre esses um nome sobressai , o nome de Agostinho de Hipona, O homem das confissões, da cidade de Deus,o primeiro a desenvolver a doutrina da predestinação, o homem que em suas confissões deixa transparecer sua santidade, em suas confissões deixa destilar o néctar precioso de sua essência, em sua principal obra Agostinho fala como se fosse um homem do tempo presente, seu texto é atualizado de maneira fenomenal, o que leva de fato a crença de que era iluminado.

Lendo as confissões chega-se a uma conclusão libertadora, o que encontramos é um homem extremamente humano, cheio de seus dilemas interiores, pleno em defeitos e cousas que são particulares ao humano, em seus relatos da juventude é nítida as características que são peculiares a qualquer jovem:

“Mas eu o ignorava e caminhava para a minha perdição, com cegueira tal, que me envergonhava, diante de meus companheiros, de parecer menos depravados que os outros, quando os ouvia exaltando as próprias infâmias, tanto mais dignas de glória quanto mais infames eram; eu queria fazer o mesmo, não só pelo fato em si, mas pelo louvor que disso resultava.” Pg 49.

Confissões

neste trecho Agostinho é gente como a gente, não é alguém deslocado do mundo que o cerca, não, Agostinho é humano e é justamente na sua humanidade que encontramos sua santidade. Cabe a pergunta, o que é ser santo? tenho a plena certeza que os conceitos de santidade que o cristianismo moderno propõe estão distantes do conceito agostiniano e não só disto, mas também do conceito Bíblico.  A santidade de Agostinho que encontrei lendo as confissões, é uma santidade adequada ao modelo da bíblia, como posso afirmar isso? Agostinho relata em detalhes toda sua alma a Deus, seus defeitos, seus desejos ocultos, suas paixões, não é um apelo metafísico, é um grito da alma humana desejosa de Deus e de seus mistérios.

1° – Santidade em Agostinho é ser Honesto consigo mesmo e com Deus: parece primário, mas não é, ser honesto consigo mesmo é resultado de um relacionamento com o Sagrado, relacionando-se com Deus percebendo em Deus a incapacidade de se negar, somos impelidos a sermos como ele, ainda que a distância seja essencial, percebemos aqui semelhanças com Davi (leia o salmo 51), a grande dificuldade de cultivar relacionamentos com Deus hoje é justamente a incoerência, a falta de honestidade relacional, santidade não é não pecar, santidade é permitir-se ser moldado.

2° – Santidade em Agostinho é um processo de restauração da humanidade do homem: a Queda do homem não representa apenas um processo de interrupção de um relacionamento com Deus, representa também o inicio de um processo de corrupção que ao final culminaria no rompimento definitivo, o inferno lugar de absoluta ausência de Deus. Lendo as confissões percebe-se exatamente isso o pecado é um processo de corrupção contínuo que promove a bestialização do homem, logo a santidade é um processo de humanização. como questão pessoal penso que, a santificação possui relações diretas com cristo em essência, a união de cristo 100% homem 100% Deus, aceita pela maioria dos cristãos, santidade é a restauração da plenitude humana, podemos ser como cristo 100% homem, e isso é santidade.

Percebe? santidade não cria super-homens, santidade não cria gurus, santidade não cria videntes, santidade restaura a humanidade do homem, exige busca, disciplina, desejo de Deus, sinceridade. o que fez os homens chamados santos entrarem para a história?  ora, Deus escreve sua história através de homens, e os que cumpriram o papel de serem o lápis de Deus, foram chamados santos, eu posso ser santo,você pode ser santo, a santidade é uma necessidade.

Carlos Junior

Bacharel em Teologia / cursando licenciatura em história

 

 

 

 

Pretos, Brancos, e I have Dream

boy-509488_1920

Eu tenho um sonho que meus quatro pequenos filhos um dia viverão em uma nação onde não serão julgados pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter.

Pr. Martin Luther King Junior

Os homens não falam mais assim… triste fato, não consigo mensurar a dimensão e força do Nome de Martin nem tenho tamanha pretensão, alguns nomes somente o tempo e a história podem agregar valor, nós homens apenas os coroamos, Nobel da paz em 1964, seguidos de reconhecimentos póstumos, medalha presidencial da liberdade, medalha de ouro do congresso americano, tudo isso em uma tentativa de tornar um homem histórico imortal, a motivação? as razões? sim, existem razões, na verdade uma razão… Alguns Homens não podem morrer.

O debate racial é irracional, nessa perspectiva esse post é uma tentativa de se livrar de conceitos primitivos, conceitos que eu e você gostamos mas que não contribui em nada para construção de uma sociedade igualitária, onde os direitos sejam iguais e para todos homens, digo iguais na forma de concessão de direitos e deveres, afinal cada ser humano é um espécie único, atribuído de suas próprias razões o que o leva a considerar importante aquilo que lhe convém, mas podemos ainda dialogar sobre o tema, abaixo algumas informações para construção e discussão.

1°  Todo ser humano é livre? : O pós abolição se caracterizou como um apagar das luzes na história do Brasil, é como se a mão de obra escrava fosse substituída pela mão de obra da imigração vinda da Europa  para as fazendas brasileiras, mas nesse período o que se verifica é a luta do liberto para se situar em um ambiente de liberdade…Liberdade?, a historicidade comprova que durante 40 a 50 anos o liberto padeceu, não existia uma sociedade preparada para receber novos cidadãos que não sabem o que é ser livre, muitos escravos permaneceram nas mesmas fazendas que foram cativos, o serviço principal ainda era roça, a labuta, o campo, haviam forças externas, claro que existiam não há como negligenciar, mas o que se verifica aqui é que longe de ser um ato em essência político, liberdade é um ato do humano para consigo mesmo, existem “escravos livres” e “livres escravos”, o problema do racismo está justamente nesse ponto, conceitos de liberdade equivocados. Jean Paul Sartre afirma  que “o homem está condenado a ser livre”, o homem está condenado a se construir todos os dias, a se reinventar, não existem causas anteriores, o que ocorre na mente humana de hoje é uma reprodução de conceitos antigos como justificativa para atos de racismo, alguns brancos  quase sempre em posição de poder, reproduzindo o modelo colonial de dono da terra, de senhor de escravos, adquiri recursos lícitos ou ilícitos não sei, e reproduz na sua mente o senhor de escravos, alguns negros reproduzindo o modelo de escravo, abraçam a submissão, o julgo político, abraçam a manipulação de massas, quem está certo? quem está errado? isso não é um jogo de certo e errado, o negro pode ser o que quiser, o branco o que quiser, isso é ser livre.

2° Cores: não existe cor negra, a cor da pele do negro é preta, aceite isso negro, e branco quando perguntarem qual a cor do negro diga preto, se isso os constrange ambos são… Melhor deixar pra lá. o racismo ganha força justamente nas questões simples, em negar a obviedade de algumas coisas, branco o cabelo do negro não é duro é crespo, negro o cabelo do branco não é bom é liso, negro nem todo branco é privilegiado, branco nem todo negro é favelado suburbano, negro você não é mais brasileiro por ser negro e seus antepassados terem sido escravos, branco você também é negro, negro você também é branco.

3°  declaração universal dos direitos humanos artigo 1:

Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir com relação uns aos outros com espírito de fraternidade

Somos irmãos pertencentes a grande família humana que foi agraciada e tem a oportunidade de possuir várias cores, como em um arco íris, a beleza está justamente nesse fato, na singularidade de cada diversidade. Uma sociedade deve ser igualitária em seus valores direitos e deveres, em sua construção ela deve abraçar o colorido, tudo fica mais bonito onde as cores são diversas. Não existe caráter na cor, nem índole que possa ser medida simplesmente pela raça, o que existe é gente como a gente, que luta, trabalha e vence, sim nós vencemos.

Em memória de minha avó Luiza de Souza, Negra, cor da pele preta, e muito amada por todos.

Carlos Junior

Bacharel em teologia / cursando licenciatura em história

 

 

 

 

 

Vinicius de Moraes, Patriotismo e Neemias

Me diga sinceramente uma coisa, Mr. Buster:
O Sr. sabe lá o que é um choro de Pixinguinha?
O Sr. sabe lá o que é ter uma jabuticabeira no quintal?
O Sr. sabe lá o que é torcer pelo Botafogo?

Mr Buster Vinícius de Moraes

flag-742573_1920
Bandeira do Brasil

A música Popular brasileira sempre possuiu prestígio internacional, especialmente a bossa nova considerada em diversos lugares do mundo como o Jazz brasileiro, sua peculiaridade harmônica faz aproximação ao jazz americano pleno em riqueza de detalhes e sonoridade. Muito desse reconhecimento passa por nomes como, Tom Jobim, Elis Regina,Gilberto Gil, Pixinguinha, Cartola e outros, e dentre tantos outros surge o nome de Vinícius de Moraes, nessa galeria de heróis da música brasileira o tratado aqui será Vinícius, compositor, poeta, brasileiro.

Conta-se que Vinícius morava nos EUA, e era reconhecido, por tanto fora convidado por um amigo (Mr Buster) a morar de vez por lá, as maravilhas econômicas, terra das oportunidades, terreno fértil, qualquer pessoa poderia ceder a tentação de fixar morada em um dos melhores lugares do mundo, não seria anti-patriotismo, não seria traição a ninguém, não era questão de virar as costas para o Brasil… Nesse contexto surge o poema Mr buster, que é uma resposta a tentativa de se americanizar Vinícius, rico em detalhes vejamos alguns trechos da tentação de Vinicius.

“Olhe aqui, Mr. Buster: está muito certo
Que o Sr. tenha um apartamento em Park Avenue e uma casa em Beverly Hills.”

Olhe aqui Mr Buster Vinícius de Moraes

Note que ele não desvaloriza a América, ele não nega suas qualidades, não fecha os olhos para o que está diante de si, em outras palavras e a grosso modo o poema diz ” Tudo isso é muito bom, é pertinente, é apetecível” , qual o problema da América então? é simples a América não era “O” Brasil, América não tem choro de Pixinguinha, América não tinha jabuticaba no quintal de casa.

Criando uma ponte de ligação,Temos um personagem Bíblico chamado Neemias sua história se aproxima da de Vinicius, Neemias estava em Susã a fortaleza e era copeiro do rei, possuía alguns privilégios obviamente, entretanto uma notícia o deixa aterrorizado, Susã era os EUA de Neemias.

As palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no mês de Quislev, no ano vigésimo, estando eu em Susã, a fortaleza,
Que veio Hanani, um de meus irmãos, ele e alguns de Judá; e perguntei-lhes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém.
E disseram-me: Os restantes, que ficaram do cativeiro, lá na província estão em grande miséria e desprezo; e o muro de Jerusalém fendido e as suas portas queimadas a fogo.
Neemias cap 1 vs 1,2,3

O restante do texto afirma que Neemias foi tomado por grande tristeza, e é importante destacar que provavelmente Neemias tenha nascido no cativeiro, ou seja, nunca tinha pisado em Jerusalém, apesar de não pertencer geograficamente a Jerusalém Neemias pertencia a uma nação, estava ligado, conectado, não existe nada que possa quebrar isso.

Fica a pergunta, que é Patriotismo então?

Patriotismo é senso de pertencimento, é se sentir Parte de, patriotismo é encontrar valor em meio ao caos, é se sentir responsável por, é filiação ainda que a mãe pátria seja ingrata, é ser agente da história e parte da história, é estar distante mas ainda estar perto, Patriotismo é ter raízes, muitos mais do que reconhecer é ser.

 

Carlos Junior

Bacharel em Teologia / Cursando Licenciatura em História

 

 

Vinho novo, e o velho que se fez novo!

É de conhecimento popular o dito ” vinho quanto mais velho melhor”, isso quer dizer em termos práticos que a ação do tempo juntamente com o processos químicos de fermentação transformam alguns vinhos em verdadeiras relíquias a serem degustadas.Cuidado! nem todos os vinhos foram feitos para envelhecimento, a maioria hoje é feita para consumo imediato, submeter alguns vinhos ao teste do tempo e das reações de fermentação pode transformá-los em vinagres, o que isso quer dizer? a resposta parece simples, e poderíamos afirmar categoricamente ” ora, existem coisas que foram feita para durar, outras foram feitas para serem consumidas de imediato”.

Em João capítulo 2 temos a narrativa  do casamento em Caná da Galileia no qual Jesus, seus discípulos e sua mãe foram convidados, em síntese na festa de casamento o vinho acabou, o que gera uma reação em Maria mãe de Jesus “E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.“, a preocupação de Maria era imediata, como em um casamento de nossos dias quando acabam os recursos logo aparecem os especialistas em casamentos para darem seus pitacos, assim também seria nesse casamento, o matrimônio judaico tinha conotações contratuais uma gafe representaria muito sobre o contrato firmado.A reação de Maria reflete muito sobre a espiritualidade cristã hoje, baseada nas soluções práticas, em atalhos, em síntese estéril, que enxerga em Jesus solução para seus problemas baratos e imediatos, e o reduzem ao deus da auto-ajuda, um Deus criado pelo imaginário religioso Humano que em nada reflete a divindade do mestre, o que esperar de Jesus então?

Jesus não é o deus da auto-ajuda… definitivamente não! que é Jesus então? Jesus é o velho que se fez novo, jesus é o vinho submetido ao tempo, as intempéries, estava no principio de tudo, e tudo se fez por meio dele, conhece os meandros da alma humana, o cerne de suas relações, é o arquiteto, por estar no principio e ser um bom vinho velho possui credenciais de quando fazer e quando não fazer as coisas, pois carrega em seus ombros o peso da sabedoria eterna de Deus.

Jesus é o vinho novo, haviam ali vasos que eram utilizados para purificação dos judeus, Jesus manda que os encham de água e posteriormente o sirvam, o resultado surpreenderia até o mais criterioso enófilo, vinho de qualidade, o vinho apreciado pelos Judeus não era fermentado era conservado abaixo dos 10 graus de maneira a impedir sua fermentação, ou seja Jesus estava oferecendo vinho fresco, apesar de Jesus ser o mesmo Deus, de Moisés, Jacó, Josué, o que se lhes apresentava era fresco, novo, superior!

Carlos Alberto Moreira Junior

Bacharel em teologia Cursando licenciatura em história